top of page

Carta para Tesla - Um sonho e conheci uma pessoa real que esta simultaneamente ligada a esta carta.


Tesla, oi!

A coexistência da vida sempre é não ter início e nem fim, mas opostos.


Sabe Tesla, estava lendo William Gilbert e o nome dele veio através de um sonho nestes dias de viagens físicas e conexões extrafísicas.


Busquei sobre ele e fiquei surpresa, porque nunca havia ouvido falar sobre ele e claro nada é o acaso e sim uma grande conexão da coexistência entre ser sustentado por átomos de oxigênio e a inexistência dele da forma que conhecemos a partir deste nosso corpo físico.


Acredito Tesla que você o conhecia de alguma forma, e sei que estas informações simultâneas que estão chegando a mim, através de “objetos e inteligência” dos quais estão fora do campo gravitacional, aqueles que já dominaram a gravidade, a qual, nenhum cientista até hoje conseguiu e consegue explicar realmente o que é apenas sabem como funcionam.


William Gilbert foi um físico e médico inglês pesquisador nos campos do magnetismo e eletricidade, claro que “ele” se apresentaria em algum momento na minha vida e não importa como, mas ele chegou.

Estudou na Faculdade Saint John's, Universidade de Cambridge. Iniciou a prática da medicina em Londres em 1573 e em 1601 foi nomeado médico de Elizabeth I, rainha da Inglaterra, o que me faz questionar pessoas assim perto das “Elizabeths rainhas da Inglaterra”, mulheres estas num círculo de muito mistério e confesso que não simpatizo nada com a Rainha atual, meus olhos não enxergam humanidade nela, tão pouco verdade, mas é uma pessoa adorada por muitos (efeito boiada) sem questionar e olha Tesla, não tem nada a ver com teoria conspiratória, até porque não perco meu tempo com isso, tempo (simultâneo) é precioso ainda mais quando estamos num corpo físico degradando-se pelo que é mais vital oxigênio.


O principal trabalho de Gilbert foi De Magnete, Magneticisque Corporibus e encontrei ele diante de muitas buscas e um amigo que está me ajudando em todo este trabalho de documentação e “dossiê” que resolvi fazer a partir de livros raros, livro pra mim seja de 200mil e 2 reais, eles tem valores inestimáveis pra mim, porque livro é um amor que tenho desde sempre, meu melhor presente. Sabe meu amigo, no primeiro momento eu achei que não ia tê-lo em mãos e por isso minha viagem se estendeu e sai da rota por completo e me disseram vai sem medo e se cuida diante da pandemia. Este meu Amigo, é uma das pessoas que tem um lindo trabalho, ele me ajuda muitas vezes a encontrar estes livros raros, mesmo que valores não entendíveis para um livro, entendo que os valores cobrados por eles são apenas humanos e moeda de troca, mas que nada tem valor maior e inestimável de poder ler, aprender e compartilhar a sabedoria que vai além da ciência, se é que me entende.


Olha Tesla, hoje no café da manhã comentei na mesa que somos capazes de tudo, e por que falei isso? Porque o assunto foi “nem todos têm sorte” eu descordo totalmente, uns não tem força para ir atrás dela e isso não é meritocracia, é por conta de que a sociedade tira seu direito de ser forte e moldar a mente para o que quer, e mais fácil dizer você não consegue chegar aqui, ali... ué se a sociedade dizer você é capaz, quem vão ser os serviçais e escravos dos senhores dos “cafezais”?


A sorte é exposta, mas criam cortinas e nem todos veem, estão com olhar e seus campos eletromagnéticos controlados, por serem pessoas controláveis. Falaram absurdo eu mudar a rota para receber o livro, por investir neste conhecimento, por comprar livros e não bens material (casa, carro etc.), será que meu valor é o mesmo que o deles? A sociedade separou por classe social através de casas e carros.


Quando temos um objetivo, uma missão e um dharma a vida protege, você estando no seu dharma a vida te proporciona muitas coisas, inclusive inusitadas. Não sei se as pessoas sabem que livros raros são transportados como uma obra de arte, por uma empresa de valores, seguros e tem o aeroporto e o local certo por onde chegam estas cargas e é mais que óbvio que o destino muda, nossa estrada muda.

Agora como questionar sorte, se questionam os caminhos que fazemos, não é sorte apenas, é empenho de se mudar tudo, aí a pessoa que reclama da sua falta de acesso e sorte é a mesma que não mudaria seu destino para receber um livro precioso. O livro tem um valor que não é comum ele e abrir mão de mudar uma rota toda e porque reclama sobre sorte? Agora sobre os colecionadores cobram entre 275.000,00 a 425.733,19 reais.


Estou aqui com ele e devorando e agradecendo as oportunidades desta vida nesta existência, e sei que estas coisas chegam aqui, porque sabe que eu vou compartilhar para que as pessoas comecem a ter acesso a muitas coisas, inclusive para que cheguem na vez delas a acessarem e a materializarem do universo, só materializamos coisas com as quais sabemos que existe seja nesta dimensão ou quando fechamos os olhos e acessamos os flashes de luzes. Nada é impossível materializar, materializam até desarmonias no corpo e por que não saúde e cura? Porque o sistema é mais forte para destruir.


Sabe Tesla, quando sonhei com Gilbert além de perceber que ele falava de polaridade no sonho me vinha Toro, Yin Yang e o quando somos guiados por estas polaridades sem o certo e errado. Em seu trabalho, Gilbert, descreve diversas de suas experiências com seu modelo de terra chamado terrella. Das experiências, ele conclui que a Terra era magnética e esse era o motivo pelo qual as bússolas apontam para o norte, e isso me fez pensar muito sobre o que os chineses sabiam ao inventar a bussola, o Ba-guá, o Wu Shu, como está tudo conectado Tesla, e eu agradeço, porque sei que tem dedo seu em chegar muitas coisas que estão chegando de conhecimento, inclusive este sonho nítido com Gilbert. Eu entrei em choque, me emocionei, porque como tem a ver tudo que ele escrevia e o que estou passando neste momento, incluindo estudo dos vedas e os Darshanas.


Em seu livro, ele também estudou eletricidade estática usando âmbar; em grego, âmbar é chamado elektron, então, Gilbert decidiu chamar isso de eletricidade. Ele foi o primeiro a usar os termos de força elétrica, atração elétrica, e pólo magnético, Sabe Tesla, desde pequena mesmo, um ano mais ou menos, minha mãe disse que eu fazia com a mão o caminho da eletricidade da casa nas paredes, e parece que foi providencial, meu pai e avô que trabalhavam com Elétrica, quando construiu a casa que nasci, fizeram os interruptores bem baixinhos para nos dar autonomia de acender e apagar a luz, e todo mundo estranha mesmo quando chega e vê o interruptor mais baixo que um tampo de mesa.


Gilbert, foi o primeiro intérprete na Inglaterra da mecânica celestial copérnica, e postulou que estrelas fixas não estão todas a mesma distância da Terra, que cada uma tinha seu peso e distância.

Ele rejeitou apaixonadamente tanto a filosofia aristotélica, quanto o método escolástico de ensino universitário. Não é apaixonante quando uma pessoa tem a firmeza do que se sabe, estuda e desconstrói? Já me apaixonei aqui.


A escolástica era uma escola medieval de filosofia que empregava um método crítico de análise filosófica pressuposto em um currículo teísta católico latino que dominou o ensino nas universidades medievais na Europa de cerca de 1100 a 1700. Ela se originou nas escolas monásticas cristãs que eram a base do primeiras universidades europeias, e pior foram pessoas formadas nestas escolas que tiveram a ousadia de viajar para Índia e China e prestar o desserviço de traduzir os textos sagrados para esta visão, e quando Tesla falo sobre as traduções mal feitas inclusive mudara as escritas em sânscrito para prevalecerem o que eles queriam e muitos que se acham expert em sânscrito traduzem e afirma que é isso mesmo, só que mal sabe que os sloka que estão lendo em sânscrito são corrompidos, é só buscar um sinólogo para tomar o baque e o tapão pra acordar e parar de repetir e ensinar através dos clássicos achando que é o sabedor e pior grandes instituições da Índia principalmente em Pune e norte são os piores disseminadores de Ayurveda de dosha. Perder tempo é ensinar ilusão e biomedicina ayurvédica.


Aliás, você sabe que o Ayurveda não descreve sobre o o nascer e morrer, foi coisas trazidas de um único e exclusivo lugar dos vedas o único lugar que fala sobre a origem da vida e concepção do mais, até inseriram nos clássicos muitas misturas de um monte de coisa e ai fica nesta de prepara a mãe e o pai para o nascimento, realmente importante, mas não sei se vocês sabem que se prepara no celestial, quando chega no óvulo e espermatozoide, estamos no quarto estagio, e a vida da pessoa acontece no primeiro estágio que é além de astrologia védica, cálculos de data para saber se será homem e mulher, até porque os textos contam com gêneros diferentes do sistema homem e mulher, contar com esta escolha é além de tudo uma visão da escola escolástica medieval, travestida em sabedoria ayurvédica.


O nascer, a fertilidade e a concepção Tesla, não é fabricar bons tecidos, esperma e óvulos, ou Sukra e Sonita, se fosso isso, seria fácil tratar infertilidade, não é?


O Princípio essencial da Vida é cada aspecto da vida é a atividade divina antes mesmo dos tecidos e princípio de Garbha, mas o ayurveda apesar de lindo e complexo, não aborda a concepção e o “início de um corpo” sem ter referência a outras escolas. Sabe Tesla, meu professor de Ayurveda disse que se eu quisesse trabalhar com fertilidade ia ter que escolher “iniciar por um dos Vidyas que compõe os vedas e principalmente o Ayurveda e uma parte dele que ainda não chegou a sair das sabedorias da tradição oral

se não chegarmos a isso, mesmo com tecidos férteis, perfeitos, a mente a alma e o espirito podem vir doentes os filhos realmente refletem seus pais, mas mais ainda até sete anos tem a mente dos pais e espirito dos pais emprestado e a essência até seus pais morrerem, ou seja, querendo ou não, olhar para seu filho é ver sua mente e seu espirito, seja pai ou mãe. Ah esqueci de te falar o seguinte, sabia que não existe cuidar de antepassados para se melhorar, mas cuidar de si porque todos eles estão em seus tecidos. Para o Ayurveda e Medicina Chinesa, não existe começo da vida e fim da fida, início ou princípio, por que? Muito fácil, somos gerados de pessoas para pessoas, um pedaço dos meus avós estão nos meus pais, meus pais me deram origem então tenho deles e dos meus avós porque eles e eu só nascemos porque existiu um corpo para nos gerar, o óvulo que nasci vem da barriga da minha avó materna mas o esperma dizem que o sêmen é fabricado na hora, mas esquecem quem fabrica são todos os outros sete tecidos, Tesla que o homem foi gerado, ou seja não houve fim da vida, ainda que difícil de se entender, te digo uma coisa, eles ainda vivem na gente e outra parte está no vazio e na coexistência, porque não existe tempo, e sim eletricidade e campo elétricos, magnético e gravitacional que nos permite livremente ir e vir entre estes mundos.


Gilbert aborda isso aqui no Livro, nesta parte médica dele e me vem na cabeça se ele leu os vedas assim como você.


Sabe me faz lembrar que temos que estudar primeiro de tudo o conhecimento da vida e o nascer de um ser humano.


Para entender sobre a fertilidade precisamos estudar os 5 maiores Agnis e não são os que citamos no Ayurveda como buthagni, Jatharagni, etc... a Vida depende outros 5, estes são menores e pequenininhos e atuam somente numa matéria viva e são confundidos com Agni (sutil), porque Agni significa fogo também e nem tudo é supremo e uma deidade, um coisa importantíssima, isso que não entendem. O Agni que sustenta a vida e gera energia, eletricidade, campo elétrico e eletromagnetismo são outros, e não estão descritos propriamente dito nos 3 maiores clássicos do Ayurveda, mas em partes dos vedas citados pelos Vaidya Charaka, Suśruta e Vāgbhata. Sabe Tesla este sonho com Gilbert fez eu ir até este tratado e vidya (conhecimento) da origem da vida e como conceber além da matéria e cuidar dos tecidos. Eu fiz isso junto com as 42 semanas anteriores, 42 semanas de gestação e 42 semanas depois que minha filha nasceu, onde corrigimos muitas coisas com cálculos inclusive com a ajuda de 3 mestres, porque aqui no Brasil não existe quem faça, eu estudei, mas te falo que quando é com nossos filhos é um desafio, porque lemos tudo, mas quando leio para outras pessoas eu vou bem segura e gentil para que não seja duro ou evasiva, inda prevalece as escolhas pessoais.


Sabe tesla, o Mundo é Agni (fogo) (energia). Aditya (um dos doze nomes de Surya no qual não é somente o sol do sistema solar e eles falam de outros sistemas como plêiades) é a lenha, seus raios de luz são a fumaça no fogo e o brilho sereno da mulher, o dia é a chama, o Chandra (lua) são as brasas e Nakshatras (estrelas) são as faíscas. Nesse fogo, os devatas oferecem shraddha (श्रद्धा) como oblação e realizam os rituais. É assim que nasce o primeiro nível de criação, Soma (सोमः) e a soma é a nossa base.

Aqui, a atividade da região celestial é comparada a rituais e os poojas dos quais não existem no Ayurveda e são reduzidos ao falar em livros. Este nível compreende a conexão do mundo físico com as regiões superiores, onde Surya, Chandra, Nakshtra fazem parte do fenômeno natural do mundo visível. A primeira oblação é a vibração universal no céu celestial e as demais são mundos simultâneos e dimensões.

Nenhum destes estudos do Agni a nuvem não é pelo Ayurveda que focamos e tão pouco pela astrologia.

Olha tesla, sua frase me surpreende.


“Em todo o espaço há energia... são (só) uma questão de tempo até que os homens tenham êxito em associar seus mecanismos ao aproveitamento desta energia” Nikola Tesla

Nos Vedas falam exatamente assim:


"Em todo espaço cósmico existe uma energia na qual o ser irá encontrar uma forma de se associar a esta energia."

Me fala se tudo não leva ao mesmo lugar?


Sabe o que Gilbert fala no seu livro lindo:


“Os eflúvios elétricos diferem muito do ar e, como o ar é o eflúvio da Terra, os corpos elétricos têm seus próprios eflúvios distintos; e cada eflúvio peculiar tem seu próprio poder individual de conduzir à união, seu próprio movimento à origem da vida no cosmos, à sua fonte e ao corpo que emite o eflúvio”. William Gilbert
“A que distância da terra, estão as estrelas mais remotas: estão além do alcance dos olhos, dos dispositivos do homem ou do pensamento do homem. Que absurdo é esse movimento (de esferas). A extrema variabilidade da distância para os vários corpos celestes e estados situados "no éter mais fino, ou na quinta essência mais sutil, ou na vacuidade - como as estrelas manterão seus lugares no poderoso redemoinho dessas enormes esferas compostas por uma substância da qual ninguém conhece, irão conhecer e serão medidas através da eletricidade, da luz e será possível até entender sobre as nuvens além de rios flutuantes. ” William Gilbert
“Nem nas estrelas, nem no sol, nem nos planetas mais operantes do cosmos, os órgãos podem ser extintos ou imaginados por nós; no entanto, eles vivem e dotam de vida pequenos corpos nos pontos elevados da terra. Se há algo de que o homem possa se orgulhar, o fiador é a alma, é a mente; e os outros animais também são enobrecidos pela mente; até Deus, por cuja vara todas as coisas são governadas, é alma e alma é o fogo da vida. No universo ele viaja em cinco, somado com ser. O número do universo é seis”. William Gilbert -
Todos são os Trechos do De Margareth

Meu amigo que amo tanto, obrigada por me ensinar tanto e me apresentar todos estes caminhos dos quais me levam nadar em várias simultaneidades.


Sabe no mesmo texto que fala sobre a vida e a concepção nos fala a importância do céu e sei que para você Tesla, não é novidade alguma falar que descobrimos através de cálculos a densidade da nuvem que estava em cima do local de nascimento, ou se não havia. Isso fala muito sobre o campo magnético que permeia no corpo, não falam nos clássicos do Ayurveda que a personalidade e a mente do ser humano pode ser e é influenciada de acordo com campo magnético de raios, nuvens trovões.


Aqui, o Parjanya (पर्जन्यः | a nuvem portadora de água) é o Fogo, alimentado por Vayu (वायुः | Vento) que é madeira, Nuvens são a fumaça, Relâmpago é a Chama, Trovão é as brasas e o estrondo das nuvens é o faísca do fogo. O Soma recém-criado no primeiro nível é oferecido pelos devatas como oblação a parjanya. Aquela nascida durante o segundo estágio da criação é a chuva (वर्षा). Aqui, a descida para o estágio intermediário entre o mundo físico e os reinos celestes é primorosamente conectada através do mundo de parjanya ou das nuvens. Assim, a chuva cai pela atividade dos seres celestiais superiores. As nuvens compreendidas pelo maior dos poetas, Kali dasa (कालिदासः) em Megha doota (मेघदूतम्) são Sanni pata (सन्निपातः | combinação) de oblação é a reverberação da vibração universal sentida nas regiões atmosféricas superiores.


Sabe Tesla, mesmo que nascemos num dia de muito sol, por exemplo, há uma polaridade oposta no eixo que sustenta o sol e é a falta dele e este eixo esta na vida, nos polos terrestres e na saúde da pessoa saber traçar o horário de nascimento é perfeito, mas eu vou contar uma coisa que apenas meus dois mestres e o Felipe sabem, que o horário do eixo no oposto (como polo sul e norte) vai ser crucial na concepção, na fertilidade inclusive não só para parir um ser humano, mas ter emoções, caráter, postura, saúde em tudo que cerca a vida.


Sabe queria escrever mais porque a partir de agora é que mostra a criação do homem através da polaridade céu e terra, norte e sul.


Vou só mostrar que o que se estuda de Samkhya é muito raso e mais fertilidade somente olhando o físico, espiritual, alias no Ayurveda Espiritual não são rituais é muito maior e é a medida da sua conexão com o céu e não com rituais.


Então diz: Prthvi (Terra) é o Fogo, Samvatsara (संवत्सरः | Um ano – a partir do calendário lunar e não romano pelo amor) é a lenha, o Céu é a fumaça, as Noites são a chama, os Quartos ou Direções são as brasas e os Upadisha (उपदिशाः | sub-direções) são as faíscas. Os devatas oferecem a chuva, criada no segundo estágio como oblação em Prthvi. E desse fogo nasce Anna (अन्नम् | tudo o que é consumível, relacionado ao nível sensorial).


Aqui, o sadhaka (साधकः | seeker) compreende a descida à terra, que é o um dos agni que citei acima, no qual a essência do tempo entra como samidha (combustível). A terceira oblação é a reverberação em um nível muito mais grosseiro do mundo. E a quarta é a concepção do corpo físico.


Então nasce quem??


No fogo chamado Purusha (Homem Cósmico), Vak (वाक् | poder da fala) é a lenha, Prana (प्राणः) é a fumaça, a Língua é a chama, os Olhos são brasas e as Orelhas são as faíscas, de onde nasce o fogo da vida, por onde a faísca deixa adentrar este fogo cósmico, então nasce No Purushagni (पुरुषाग्निः | fogo personificado), os devatas oferecem anna (अन्नम् | um grão) como a quarta oblação e daí surge Virya (वीर्यः | sêmen e o sukra).


Aqui, o sadhaka compreende a descida ao próprio Homem, que está envolvido em toda a atividade e ao consumir o alimento se energiza e produz virilidade. Assim, na quarta oblação, a vibração do nível celestial superior mudou para o nível do homem individual.


Quando se trabalha com fertilidade, Tesla primeiro tem que entender as oblações anteriores, sem isso olhar nascer um sêmen é contraditório e quer ainda um segredo, você jamais melhora a qualidade do óvulo, você ajuda a mulher escolher o melhor para fertilizar e isso está na alquimia, mantras e patuás confeccionados com o cálculo do eixo opostos dos 42 dias que antecedem a fecundação.


Então, Tesla, Gilbert fala sobre isso sobre esta forma de concepção.


E obrigada por me dizer: sobre os enigmas dos raios, nuvens e trovões e que precisamos entender esta dinâmica,

“Se você quiser descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, frequência e vibração. ” NikolaTesla

Termino com outra riqueza do De Margareth de William Gilbert


"Gemas lúcidas são feitas de água; assim como o Cristal, que foi cimentado de água límpida, nem sempre por um frio muito forte, como alguns julgavam, e por uma geada muito forte, mas às vezes por uma menos severa, a natureza do solo que o forma, o humor ou sucos sendo encerrados em cavidades definidas, na forma como as espigas são produzidas nas minas e sustentada pelo fogo da vida, eles nasceram das estrelas, de vários sóis, de várias nuvens como este corpo que habita meu fogo celestial, a alma." Gilbert

Agora Tesla, vou te confessar as vezes é uma correção pequena para lidar com a fertilidade coexistente e todos níveis mas para que isso seja simples, eu precisei estudar muito, muito mesmo e acho que falar para seres humanos e cuidar da saúde e vida é algo tão sério, tão ético que me cabe ser responsável por cada coisa que escrevo e cada ponto e vírgula, mesmos meu português não sendo bom, mas me esforço, porque infelizmente nada de profundo tem traduzido para português, quando não livros de culinária ayurvédica e terapias quânticas que ne, sita, a eletricidade e somos raios trovões e nuvens internas, e te contar bem baixinho, fazemos nuvens no rim e no pulmões e com isso se chove em todos os órgãos, o coração, o cérebro são nossos raios, o baço nossa terra, o fígado é a madeira distribuição e circulação, o útero é a faísca da vida, além de outros órgãos e vísceras, e sabe o melhor de tudo isso, que quando nascemos tudo isso está acontecendo no globo terrestre e não importa se você nasceu na Áustria e eu no brasil, nós pertencemos a Terra, e nascemos pertencendo as seis estações, as oito direções e as oposições delas, havia sol, lua, chuva, tempestade, neve e fogo e no nosso mapa é previsto tudo isso e então nasce além de mil coisas uma delas a cartografia, e existe a oceanocrolonolia, e outras ciências que um dia eu falarei para você.


Tesla, acordei hoje com esta carta pronta na cabeça e sentei para escrever e dizer que estou conectada simultaneamente a você e ao Gilbert e sou grata de receber materializado os meus sonhos.


Um forte abraço e toda a minha reverencia, honra e respeito. Obrigada!

Cris Ayres


Consideração importante.

W. Gilbert morreu de peste bubônica, em Londres e o que mais me deixou pensativa que fomos apresentados num sonho e eu não sabia sobre a sua existência, mesmo apaixonada por eletricidade. E ele chegou em meio a uma pandemia mesmo seu corpo morrendo em outra pandemia no dia 30 de novembro 1603, (soma 6) mesmo número dos segredos do cosmo e não é por nada, mas Tesla sempre me diz, olhe para os números 3,6,9 e a existência do 6, esta é a chave do universo. Que venha mais sonhos (simultaneidade da vida)


Agradecimento

Estava em dúvida se publicava esta carta, mas minha seguidora que tenho um carinho profundo por ela, uma das que converso todos os dias, Carla M Pimentel, me mandou uma das frases que usei de Tesla aqui, e foi no momento em que meditei se deveria postar, o céus e a coexistência comunica com a gente através de caminhos seguros nos quais confiamos em receber.

Carla, obrigada o céu nos conectou.


159 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page